YAG Laser

 

O YAG Laser é uma ferramenta moderna e útil que o oftalmologista tem ao seu alcance atualmente. Entre as patologias mais frequentemente tratadas encontram-se a Opacidade da Cápsula Posterior e o Glaucoma de Ângulo Fechado.

  1. A Opacidade da Cápsula Posterior pode ocorrer, meses ou anos após cirurgia de catarata e a utilização do YAG Laser resolve esta situação eficazmente com recuperação da acuidade visual perdida. No passado estes doentes tinham que ser submetidos a uma cirurgia para a resolução deste problema.
  2. O Glaucoma do Ângulo Fechado, pode ser tratado. Assim, o YAG Laser pode tratar ou prevenir o aparecimento do glaucoma agudo.

Além da extrema eficácia na realização dos tratamentos descritos, o YAG Laser permite efetuar um novo tratamento no Glaucoma Crónico de ângulo aberto, a Trabeculoplastia Seletiva a Laser (S.L.T.).

 

CAPSULOTOMIA POSTERIOR

A capsulotomia posterior com YAG Laser é um procedimento oftalmológico no qual é feita uma pequena abertura na cápsula posterior do cristalino, uma estrutura presente dentro do olho.

 

Indicação


É indicada para pacientes com opacificação da cápsula posterior do cristalino. Com essa região opaca, a passagem da luz fica prejudicada e o indivíduo fica com a visão turva.

Normalmente, essa opacificação surge em pacientes que já realizaram a cirurgia de catarata com implante de uma lente intraocular (LIO). Sendo considerada uma complicação desse procedimento e popularmente conhecida como a “segunda catarata”.

Para tornar o procedimento mais seguro e eficaz, não são usados bisturis ou outros instrumentos cirúrgicos típicos, mas uma luz do tipo laser Nd:YAG.

Ao abrir a região posterior da cápsula do cristalino, cria-se um rasgão na superfície dessa estrutura que permite a passagem da luz, restaurando a visão naquele olho.

 

Como o procedimento é realizado?


O procedimento é indolor. Apesar disso, é comum o uso de um anestésico tópico (colírio) minutos antes do procedimento.

Não há necessidade de internação. A capsulotomia posterior com YAG Laser pode ser feita em regime ambulatorial, o que significa que basta ir ao consultório do cirurgião com horário marcado, realizar o procedimento e, então, retornar para casa junto de um acompanhante.

No caso de crianças pequenas, no entanto, pode ser necessário a internação e o uso de anestesia geral.

Nem todas as pessoas que realizam cirurgia de catarata precisam ser submetidas a este procedimento. A estimativa é que 30% dos olhos submetidos à cirurgia de catarata sofrem essa opacificação alguns meses ou anos após o procedimento. Quando a opacificação é muito densa e o prejuízo à visão é grande a capsulotomia torna-se necessária.

 

Riscos


A principal complicação do procedimento é o aumento da pressão intraocular nas primeiras horas após o procedimento. Para evitar esse risco, é comum que o médico prescreva o uso de colírios que reduzem a pressão no olho.

Além disso, outras complicações mais raras são uveíte, edema macular, danos à estrutura da lente, edema de córnea e descolamento de retina.

 

Orientações


O pós-operatório de capsulotomia é, habitualmente, isento de complicações com uma recuperação rápida e sem convalescença, não afetando a acuidade visual.

Não são necessários cuidados especiais podendo os doentes levar uma vida perfeitamente normal no após a cirurgia.

Devem ser ministrados colírios anti-inflamatórios e hipotensores oculares de acordo com a prescrição do médico oftalmologista.

O doente pode retomar as suas atividades normais imediatamente após a operação, devendo, todavia, ter alguns cuidados com o olho operado. Pelo menos nos primeiros dias após a intervenção e efetuar o tratamento instituído. No caso de surgir dor nos olhos deve recorrer de imediato ao seu médico oftalmologista.

 

IRIDOTOMIA

Paciente portadores de seios camerulares estreitos com risco para o fechamento angular podem ser beneficiados com iridotomias periféricas com YAG laser, procedimento mais rápido e com menor reação inflamatória do que a realizada cirurgicamente ou com laser de argônio.

A iridotomia a laser é um procedimento de eleição no tratamento do glaucoma. No glaucoma de ângulo estreito (ou glaucoma de ângulo fechado) e sobretudo em pessoas de meia idade, a iridotomia com YAG Laser tem indicação absoluta, evitando desta forma a ocorrência de glaucoma agudo.

A cirurgia de iridotomia no glaucoma tem como objetivo criar uma comunicação entre a câmara posterior e a câmara anterior. Desta forma, evita-se o bloqueio da drenagem do humor aquoso nos olhos com ângulo irido-corneano estreito.

A iridotomia com YAG laser deve ser realizada antes de ocorrer o bloqueio à drenagem do humor aquoso. De modo a proteger o doente de uma crise de glaucoma agudo (iridotomia preventiva).

Este procedimento também pode ser realizado quando a pupila se encontra bloqueada como acontece nos olhos com lentes de câmara anterior. Ou na seclusão pupilar (aderência da pupila ao cristalino) nos casos das uveítes.

 

Como o procedimento é realizado?


Em relação à técnica na iridotomia a laser, o cirurgião procura uma zona da íris menos espessa devendo fazer uma boa focagem das miras no plano da íris. Evitando assim efeitos secundários e pretendendo ser mais eficaz. Trata-se de uma operação de realização rápida e efetuada em regime de ambulatório.

A iridotomia pode ser efetuada apenas num ou nos dois olhos.

 

Riscos


A iridotomia a laser não possui, riscos associados, no entanto, à semelhança de qualquer cirurgia existem sempre possíveis complicações que devem ser acauteladas.

Um dos riscos prováveis é a ocorrência de pequenas lesões na córnea se o disparo do laser for mal calculado. Estas lesões desaparecem, habitualmente, com o tempo sem deixar sequelas.

Outra complicação frequente é o surgimento de pequenos hifemas (sangue na câmara anterior) resultantes do traumatismo da íris pelo laser. Se o disparo do laser for posterior ao plano da íris pode provocar uma catarata.

 

Orientações


O pós-operatório de iridotomia é, habitualmente, isento de complicações com uma recuperação rápida e sem convalescença, não afetando a acuidade visual.

Não são necessários cuidados especiais podendo os doentes levar uma vida perfeitamente normal no após a cirurgia.

Devem ser ministrados colírios anti-inflamatórios e hipotensores oculares de acordo com a prescrição do médico oftalmologista.

O doente pode retomar as suas atividades normais imediatamente após a operação, tendo alguns cuidados com o olho operado. Nos primeiros dias após a intervenção e efetuar o tratamento instituído. No caso de surgir dor nos olhos deve recorrer de imediato ao seu médico oftalmologista.

 

OUTRAS UTILIDADES DO YAG LASER

 

Iridoplastia


O YAG Laser permite também aumentar a abertura pupilar em casos de pequenos deslocamentos da pupila. Realizar neo-pupilas em casos mais extremos, sem a necessidade de procedimento cirúrgico e com menor risco de induzir catarata em pacientes fácicos.

 

Vitreólise anterior


A presença de vítreo na câmara anterior, especialmente se tracionado pela incisão, pode ser fator predisponente de edema macular cistóide. Esta tração vítrea pode ser liberada facilmente através da realização de vitreólise com YAG laser.

Além disso o YAG Laser ainda pode ser usado para liberação de gonio-sinéquias que porventura estejam ocluindo o orifício da trabeculectomia e para realizar a abertura do orifício intra-camerular dos implantes valvulares por vezes ocluídos por íris, vítreo ou corpos estranhos.

VOCÊ SABIA QUE É POSSÍVEL REALIZAR UM AGENDAMENTO ONLINE?