exame de refração

Exame de Refração é realizado para identificar a acuidade visual e o grau de óculos do paciente.

Acuidade visual, ou simplesmente a sigla AV, é a aptidão do olho para distinguir os detalhes espaciais. Em outras palavras, é a capacidade de identificar a forma e o contorno dos objetos. A acuidade visual pode ser medida mostrando-se objetos de tamanhos diferentes ao paciente e que se encontram a uma mesma distância do olho. A forma mais correta para medir a acuidade visual é no consultório oftalmológico, e utiliza-se, normalmente, a “Tabela de Snellen”. A tabela contém uma série progressiva de fileiras de optotipos (letras, números ou figuras). O teste, então, consiste em ler esses optotipos que vão diminuindo de tamanho sucessivamente. A avaliação é realizada com a tabela posicionada a uma distância padrão da pessoa a ser testada. Cada linha da tabela corresponde a uma fração, que representa uma acuidade visual. Cada olho deve ser testado separadamente.

Entenda o um pouco mais

A acuidade aparece, assim, marcada por dois números, em forma de fração, como por exemplo, 20/100. O primeiro número é a distância entre o quadro e o paciente. O segundo representa a fileira dos menores optotipos que o paciente consegue ler. Cada fileira da Tabela de Snellen contém um número que corresponde à distância na qual um olho “normal” consegue ler as letras desta fileira. Por exemplo, as letras da fileira “100” podem ser lidas por um olho normal à uma distância de 100 metros. Isso significa que um paciente com acuidade de 20/100 consegue ler à distância de 20 metros o que uma pessoa normal é capaz de ler à distância de 100 metros, lembrando que a visão 20/20 é a considerada normal.

Parece interessante observar também que quando a acuidade visual é muito baixa, e o paciente não consegue ler nenhuma das fileiras da Tabela de Snellen, recorre-se a outros métodos. Verifica-se, se o paciente identifica a quantidade de dedos na mão do examinador, por exemplo, “CD a 1m”, indica que a pessoa consegue ver a quantidade de dedos a 1 metro de distância. Se isso não for possível, observa-se a capacidade do paciente de ver os movimentos da mão. Nos casos mais severos de perda visual, é avaliado se o paciente percebe a luz, “PL” ou percepção luminosa.


APARELHOS DO EXAME DE REFRAÇÃO

Auto Refrator

Equipamento utilizado para identificar automaticamente o grau de refração aproximado.

 

Tabela de Acuidade Visual

Projeta diversas tabelas contendo desenhos, números ou letras a uma correta distância para o médico realizar o exame subjetivo da acuidade visual, onde o paciente informa o que está vendo.

 

Greens

Aparelho composto por um conjunto de lentes corretivas usado para encontrar o grau de refração que melhor satisfaça a acuidade visual do paciente.


 

Após a aferição do grau, o médico oftalmologista escolhe dentre os vários tipos e modelos de lentes qual a melhor para cada caso.
As lentes podem ser de visão simples, para correção de graus como miopia, hipermetropia e astigmatismo, ou para visão de longe e perto. Essas últimas são as chamadas lentes bifocais, que contém uma divisão entre a lente de longe e a de perto; e as multifocais, que, embora pareçam ser uma lente comum, possuem a parte mais inferior com o grau destinando para a visão de perto.

O resultado é a receita para fazer as lentes dos óculos, por exemplo:

OD (Olho Direito)         – 1.00 (grau de miopia)                     – 1.50 (grau do astigmatismo)    X    180° (eixo do astigmatismo)
OE (Olho Esquerdo)    + 0,50 (grau da hipermetropia)      – 0.75 (grau do astigmatismo)    X    160° (eixo do astigmatismo)

 

REFRAÇÃO é um exame que propicia, além da prescrição de óculos, a adaptação de lentes de contato e a programação da correção cirúrgica do grau.

VOCÊ SABIA QUE É POSSÍVEL REALIZAR UM AGENDAMENTO ONLINE?