cirurgia de glaucoma

 

A Cirurgia de Glaucoma é realizada para controlar o glaucoma nos casos em que o tratamento clínico não está sendo efetivo. Seu objetivo é diminuir a pressão intraocular (principal causa do GLAUCOMA), evitando assim lesões graves ao nervo óptico.

Existem três níveis de tratamento para o glaucoma: uso de colírios, aplicação de laser e cirurgia.

O uso de medicamentos é a primeira opção e mais frequentemente indicada.

Existem três tipos diferentes de cirurgia de glaucoma:

• Trabeculoplastia a laser (SLT)
• Iridectomia a laser
• Trabeculectomia, a mais conhecida

 

TRABECULOPLASTIA A LASER (SLT)

A trabeculoplastia seletiva a laser é uma cirurgia que usa uma combinação de freqüências de laser que permite o tratamento com pouca energia. Ele trata células específicas da malha trabecular deixando outras porções intactas. Isso possibilita que o procedimento seja repetido algumas vezes e pode ser uma alternativa para pacientes tratados anteriormente com laser tradicional.

 

IRIDECTOMIA A LASER

Procedimento destinado ao tratamento e prevenção de glaucoma de ângulo fechado. Uma pequena abertura periférica é criada na íris para que o humor aquoso passe livremente da câmara posterior para a câmara anterior do olho.

 

CIRURGIA DE TRABECULECTOMIA

Cirurgia realizada para controlar o glaucoma em casos em que o tratamento clínico não está sendo efetivo e quando nos exames complementares de campimetria, mapeamento de retina, gonioscopia, entre outros exames, o quadro clínico continua deteriorando-se.
Consiste em fazer uma fistula de drenagem paro que o humor aquoso se desloque da câmara anterior do olho para a região subtenoniana. Existe atualmente variações da técnica que se adaptam a cada caso.

 

Quando a cirurgia de Glaucoma é indicada?


Trabeculectomia é geralmente recomendado para pacientes com glaucoma que continua a progredir apesar do uso de medicamentos e/ou tratamentos a laser. Em alguns casos, a cirurgia de trabeculectomia estará indicada antes mesmo de iniciar tratamento clínico ou com laser. Estas decisões variam dependendo do tipo de glaucoma, da fase do glaucoma, bem como de outros fatores. Algumas vezes, a cirurgia pode ser combinada com a cirurgia da catarata.

 

O que é feito durante a cirurgia de trabeculectomia?


Um via de drenagem é criada para facilitar a escoamento do humor aquoso do olho. Em vez de drenar para o local convencional do olho (rede trabecular), o líquido é drenado para um novo espaço (a “bolha”), que é confeccionada com uma membrana que envolve a parte branca do olho (a conjuntiva). Isto irá reduzir a pressão intraocular. Uma vez que a cirurgia é normalmente realizada na parte superior do olho, a “bolha” fica escondida pela pálpebra superior.

Porque algumas cirurgias de trabeculectomia requerem o uso de antimetabolitos ou medicamentos que impedem a cicatrização?
A principal razão é o fatode de que a cicatrização pode levar a falência da cirurgia, portanto, os Anitmetabolitos, ou medicamentos que impedem a cicatrização, devem ser usados para aumentar a taxa de sucesso da cirurgia de trabeculectomia em alguns pacientes.

Assim, pacientes em que as cirurgias de trabeculectomia anterior falharam, pacientes mais jovens, pacientes que tiveram uma cirurgia ocular prévia e pacientes com uveíte devem ser avaliados para o uso de antimetabólitos. A decisão de usar ou não a medicação é determinado pelo cirurgião. Nem todos os pacientes realizam da cirurgia de trabeculectomia necessita fazr uso de antimetabolitos.

 

Quais são os antimetabolitos utilizados na cirurgia de glaucoma?


O 5-fluorouracilo (5 FU) e mitomicina C (MMC) são os mais utilizados. O 5 FU pode ser administrado durante a cirurgia e/ou como injeções em torno do globo ocular depois da cirurgia. MMC é usado normalmente durante a cirurgia.

 

Como é feita a cirurgia de trabeculectomia?


O procedimento é feito com anestesia e sedação na sala de cirurgia Após a instilação de alguns colírios no olho é realizada a anestesia para que olho na fique se movendo durante o ato cirúrgico. O campo estéril será colocado sobre o seu rosto e corpo e deixará apenas o seu olho descoberto. Isto mantém a área de operação limpa e estéril. O olho vai será mantido aberto por um “espéculo” durante o procedimento, então o paciente não precisa se preocupar em piscar durante a cirurgia.

Após a cirurgia um curativo será colocado sobre seu olho. Ele será removido no dia seguinte à cirurgia. Você deve retornar ao seu oftalmologista em intervalos pré-definidos por ele para avaliar a evolução e a pressão intraocular. Durante este tempo você deverá fazer uso regular dos colírios prescritos. Pode ser preciso realizar a remoção de suturas (pontos), realizada normalmente com um procedimento a laser. Pode-se fazer necessário ainda a aplicação de injeções de medicamentos complementares ou outros procedimentos para controlar o processo de cicatrização. Isto vai maximizar o resultado da cirurgia. Os cuidados pós-operatórios variam de paciente para paciente.

 

Será que o meu glaucoma vai ser curado com a cirurgia?


Não. A cirurgia tem como finalidade o controle da doença e não sua cura. A visão que já foi perdida antes da cirurgia, em geral, não melhora após o procedimento. A cirurgia de trabeculectomia reduz a pressão do intraocular com a finalidade de reduzir a progressão da doença.

 

Posso interromper o uso do meu colírio após a cirurgia de glaucoma?


Você fará uso de colírios durante algum período após a cirurgia. Dependendo dos resultados algumas pessoas irão suspender o uso da medicação da qual fazia uso antes da cirurgia. Algumas pessoas ainda precisarão manter o uso de colírio antiglaucomatoso para manter a pressão sob controle. A necessidade de colírios a longo prazo varia muito e é determinada pelo tipo de glaucoma e pelo nível de progressão da doença.

 

Quais são os riscos?


Toda cirurgia ocular apresenta riscos. Qualquer cirurgia não será realizada a menos que os benefícios superem os riscos. Os riscos incluem, mas não estão limitados a, hemorragia, infecção, inflamação, formação de cicatrizes, descolamento da retina, pálpebra caída, visão dupla, perda de visão ou mesmo a perda do olho.

çEm geral, muitos desses riscos são incomuns e raros, no entanto, você pode querer discutir os riscos e benefícios com o seu cirurgião se tiver qualquer dúvida sobre o procedimento

 

ORIENTAÇÕES

• Exames oftalmológicos anuais são indicados em qualquer idade.
• Pessoas com mais de 60 anos que apresentam história familiar e fatores de risco como diabetes, miopia e hipertensão arterial devem ser acompanhadas periodicamente.
• O mesmo se aplica a pessoas de raça negra e pacientes sob tratamento clínico ou que já se submeteram à cirurgia de glaucoma.
• Quando o tratamento é cumprido conforme o determinado, a qualidade da visão é mantida.

VOCÊ SABIA QUE É POSSÍVEL REALIZAR UM AGENDAMENTO ONLINE?