catarata

 

Doença ocular extremamente comum, principalmente nos idosos. É provocada pela opacificação (perda da transparência) parcial ou total do cristalino, a lente natural dos nossos olhos. Pessoas com catarata apresentam a visão nublada, como se olhassem por uma janela embaçada ou enevoada. Essa visão nublada pode tornar mais difíceis tarefas como ler, dirigir um carro ou interpretar a expressão das pessoas.

 

CAUSAS


O cristalino é composto basicamente por água e proteínas. As proteínas do cristalino têm características próprias e são responsáveis pela sua clareza e transparência. Com o envelhecimento dos olhos, a estrutura dessas proteínas se altera, o que provoca uma perda gradual de sua transparência. A catarata que surge na população idosa é chamada senil, sendo esta a forma mais comum.

Além da catarata senil, existem outras causas para a perda da transparência do cristalino, entre elas:

Congênita

É uma forma de catarata que está presente ao nascimento ou que se desenvolve durante o primeiro ano de vida. A esse tipo pode ter várias causas, entre as mais comuns estão as doenças de origem genética e as infecções durante a gravidez, tais como toxoplasmose, rubéola, sífilis, citomegalovírus e herpes.

Traumática

É uma forma de catarata de surge após um trauma do olho. Ao contrário das outras formas, essa costuma ser unilateral. Alguns tipos de cirurgia no olho também podem causar esse tipo de doença.

Por radiação

É o tipo de catarata que surge após exposição à radiação ionizante, como, por exemplo, no caso dos pacientes que são submetidos a radioterapia em regiões próximas aos olhos.

Secundária a drogas

Vários fármacos, se usados de forma contínua por períodos prolongados podem facilitar o surgimento da doença em questão. Os mais comuns são os glicocorticoides, como a prednisona. O uso prolongado de estatinas, medicamentos usados no tratamento do colesterol alto, também aumentam o risco de catarata.

 

SINTOMAS DA CATARATA


Os principais sintomas da catarata são: sensação de visão embaçada, alteração contínua da refração (grau dos óculos), maior sensibilidade à luz, espalhamento dos reflexos ao redor das luzes e percepção que as cores estão desbotadas. Geralmente há uma piora da miopia com redução da visão em baixo contraste e baixa luminosidade, principalmente para longe, comparativamente à visão para perto. Somente o oftalmologista poderá solicitar os exames necessários para a confirmação do diagnóstico, bem como, indicar o melhor procedimento cirúrgico para tratamento.

 

FATORES DE RISCO


A catarata senil é uma situação que vai ocorrer em praticamente todas as pessoas, principalmente naquelas com mais de 70-80 anos. Algumas situações, porém, aumentam o risco de opacificação do cristalino, favorecendo o surgimento mais precoce da catarata. Entre os principais fatores de risco podemos citar:

  • Tabagismo
  • Consumo excessivo de álcool
  • Exposição excessiva dos olhos à radiação solar
  • Obesidade
  • Diabetes mellitus
  • Hipertensão arterial
  • Inflamação ocular prévia
  • Cirurgia oftalmológica prévia
  • História familiar de catarata

 

TRATAMENTO


O único tratamento efetivo para curar a catarata é a cirurgia. Óculos e lentes de aumento podem aliviar os sintomas nas fases inicias, mas para corrigir definitivamente o problema a única opção é operar.

Em geral, a cirurgia de catarata é indicada quando a opacificação do cristalino já é grande o suficiente para interferir nas atividades comuns do dia a dia. O ideal é o médico decidir conjuntamente com o paciente a melhor hora de operar. Ao contrário do que acontecia antigamente, quando a técnica cirúrgica ainda era pouco desenvolvida e os riscos de complicações eram altos. Hoje não é mais preciso esperar a catarata chegar a estágios muitos avançados para se operar. Se incomoda o paciente, isso já é motivo suficiente para marcar a cirurgia.

Por vezes, uma catarata precisa ser removida devido à outra doença dos olhos, tais como a retinopatia diabética ou doença macular relacionada à idade. Em alguns casos, a doença tem de ser removida para que o oftalmologista possa tratar uma doença que esteja afetando a retina.

Nas crianças, porém, a conduta é diferente. Assim que o diagnóstico  é feito, o médico deve programar a cirurgia, pois a catarata atrapalha o desenvolvimento normal dos olhos nos bebês.

A cirurgia de catarata consiste da remoção do cristalino opaco e sua substituição por uma prótese transparente (lente intraocular). Isso possibilita uma melhor passagem da luz para o interior do olho e é denominada facectomia com implante de lente intraocular.

 

CONSIDERAÇÕES


Não há como evitar a predisposição genética e nem o envelhecimento do cristalino. Porém, algumas medidas preventivas podem ser realizadas visando reduzir alguns fatores de risco para o desenvolvimento da catarata. Reduzir o tabagismo, proteger-se contra a radiação ultravioleta (principalmente UVB) e traumas, controlar o Diabetes Mellitus e evitar o uso prolongado de corticoides são cuidados que podem ser eficazes na prevenção da catarata. É fundamental ter consciência dos perigos da automedicação.

O único tratamento eficaz para a catarata é a cirurgia.

A recomendação de tratamento cirúrgico para portadores de catarata não está relacionada à idade do paciente e sim ao seu comprometimento visual. Qualquer portador deve ser submetido a cirurgia desde que tenha sua capacidade ocular prejudicada pela doença e apresente condições de recuperação pós-cirurgia.

A deficiência visual causada pela opacificação do cristalino pode ser revertida com tratamento cirúrgico. A lente natural opaca é removida e substituída por uma lente artificial transparente, chamada de lente intraocular.

você sabe como é feita a cirurgia dessa doença?

VOCÊ SABIA QUE É POSSÍVEL REALIZAR UM AGENDAMENTO ONLINE?